Dérbi em Campinas terá cinco vezes mais policiais do que o normal ?

A Polícia não esconde: há um temor de que o clima seja quente no clássico entre Ponte Preta e Guarani, neste sábado, em guia de Campinas. Por isso o contingente policial, que em geral é composto por uma centena de soldados, aumentará para 550 homens dessa vez, de acordo com o tenente coronel Nelson Coelho. A Polícia Civil determinou o 10º Distrito Policial como exclusivo para registros de ocorrências. Até a entrada de menores ao estádio ainda terá que ser avaliada pelo juiz da Vara da Infância e Juventude, Richard Pae Kin.

Mesmo antes do clássico, na quarta-feira, 35 torcedores do Guarani foram detidos e levados ao 1º Distrito Policial, em Campinas, para prestarem depoimento. Dois ônibus à serviço da Polícia Militar foram insuficientes para acomodar os bugrinos após uma reunião na sede da torcida organizada Fúria Independente, na Vila Industrial, que guardava dezenas de pedaços de paus e ferro, bombas caseiras, entre outros objetos considerados suspeitos pela polícia.

O rigor policial a uma “simples” reunião de torcedores foi provocada por uma denúncia anônima frente ao zelo dos órgãos de segurança da cidade três dias antes do dérbi entre Guarani e Ponte Preta. Os animos já estão inflamados em ambos os lados. A fagulha que incendiou mais ainda o embate entre os dois times foi a morte recente do torcedor bugrino Anderson Ferreira, 28 anos.

A tragédia aconteceu durante uma briga entre as rivais torcidas, a poucos metros do campo onde se enfrentaram os jogadores do “derbinho” Sub-15 e Sub-17. O rapaz foi internado mas não resistiu ao traumatismo craniano e torácico e morreu na última segunda-feira (19).

Um encontro no prédio da Prefeitura na quarta-feira juntou os presidentes da Ponte e do Guarani, o prefeito Pedro Serafim (PDT), vereadores, e o comando das Polícias Militar e Civil, do Corpo de Bombeiros, em uma discussão sobre quais os procedimentos para garantir a segurança dos torcedores.



De um lado, os dirigentes sustentaram que o jogo poderia ser transferido para um campo neutro em outra cidade; de outro, a ideia era permitir apenas a entrada de uma única torcida; e no centro a preocupação de retaliações das torcidas diante de torcedores que querem apenas curtir futebol.

O jogo será o 100º encontro das duas equipes campineiras e acontecerá às 18h30 (de Brasília) no Estádio Moisés Lucarelli, da Ponte, neste sábado (24). O ingresso inteiro para o clássico custará R$ 60. Ao Guarani foram reservados 986 bilhetes, ou 5% da carga de entrada, que já começou a ser comercializada no Binco de Ouro da Princesa. Já a torcida da Ponte teve que aguardar, já que o time jogou nesta quarta-feira pela Copa do Brasil.

Fonte: Portal Terra

Dérbi em Campinas terá cinco vezes mais policiais do que o normal ?
Rate this post




Deixe seu comentário